Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

07.01.16

Lendo Os Miseráveis. (3)


a dona do chá

Escolha o meio adequado de leitura.

Na altura em que comprei o livro de Os Miseráveis não havia muito por onde escolher. Basicamente, era publicado pela Europa-América. Entretanto, encontrei uma edição da Mel Editores e foi esta que adquiri. No Brasil, algumas editoras fazem a edição em dois volumes e talvez seja uma boa opção porque realmente o livro é volumoso. 

No dia-a-dia de leitura constatei que somente com o livro físico a leitura não rendia adequadamente. Eu já tinha o livro há uns bons quatro anos e actualmente tenho mais dificuldade de visão. Canso-me rapidamente. Por outro lado, leio bastante fora de casa o que torna inviável transportar calhamaços. Então comecei alternar com o ebook. Há vários sites de domínio público onde se pode encontrar Os Miseráveis e foi a salvação para a minha leitura. Sou fã incondicional dos ebooks e dos ereaders e, neste caso específico, facilitou-me imenso o conforto de leitura e a portabilidade.

Então, o hábito de leitura deve determinar o meio a ser utilizado para a mesma. Em leituras como esta que são, por natureza, longas torna-se fundamental estar confortável no acto de ler. No fundo, este aspecto aplica-se a qualquer leitura de um calhamaço, independentemente do género literário em causa.

07.01.16

Lendo Os Miseráveis. (2)


a dona do chá

Se for ler este livro, dedique-se só e unicamente a esta leitura.

A minha experiência com este livro tem sido bem diferente das leituras que habitualmente faço. Isto porque porque tenho a tendência para ler mais de um livro ao mesmo tempo. Raramente leio só um. A única explicação que encontro é que gosto de alternar livros quando estou a ler. Então, isto se tornou um percalço quando comecei a ler Os Miseráveis. Comecei em fins de Junho e enquanto lia tudo corria bem, mas comecei a notar que ao alternar com os outros livros o meu ritmo de leitura abrandava. Então, quando retomava o livro tinha sempre de voltar atrás e reler algumas partes do livro.

Conclui então que eu deveria parar e retomar somente quando tivesse total disponibilidade. Por isso, desde Dezembro tenho me dedicado ao livro e não me arrependi da escolha feita.

Os Miseráveis demanda tempo e dedicação. A história se desenrola entre a acção dos personagens principais mas intercala com descrições de factos, locais e personagens secundários, bem como com a exposição de pensamentos do narrador. Isto tornam os capítulos longos? Sim. Mas a magia do livro está nestes detalhes. Quando o narrador explica com detalhes algo, esta descrição não será à toa. Ele está a construir o terreno para algum episódio mais adiante. Nada é dito ao acaso ou para encher páginas. 

 

07.01.16

Lendo Os Miseráveis. (1)


a dona do chá

Desde 2012 que cultivava a vontade de ler Os Miseráveis. Sempre gostei desta história (que conheci através de série televisiva e de filmes) e também da banda sonora do musical. Então, quando veio ao meu conhecimento em 2012 de que seria lançado um filme/musical sobre a obra, a vontade voltou em força. Planeei ler a obra antes da estreia do filme, o que não consegui cumprir. Acabei por ir ver o musical no dia do meu aniversário em 2013 (e amo esse filme!) e o livro foi ficando de lado. 

Em 2015 comecei a ler o livro e já ultrapassei mais de metade e a cada página quase que faço uma vénia para a grandeza deste livro. Sei, quando chegar ao final, que este será um dos livros que entrará para o rol dos livros da minha vida. Há tanta coisa a dizer sobre o livro em si e sobre a experiência de lê-lo que resolvi fazer uns apontamentos sobre o mesmo. Se por mero acaso nunca leu esta obra, gostaria de deixar algumas impressões (e tentarei não dar spoiler) que podem funcionar como dicas para leitura.