Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

15.11.13

(balanço da situação)


a dona do chá

Estamos com 37 semanas e 2 dias de gestação. Traduzindo, falta pouco, falta muito pouco para conhecermos o nosso pequeno baby Hugo. A ansiedade está presente... tenho escrito algumas das sensações. Em breve, colocarei algumas coisas. Sinto vontade de partilhar um pouco sobre esta experiência da minha vida. Em breve.

15.11.13

(por causa do Outono)


a dona do chá

Hoje foi um dia realmente outonal. Um vento frio. O sol pálido. O casaco a transferir conforto. As folhas ferrugentas a rodopiarem no chão acompanhadas do inconfundível som, como que a estalarem no chão. Há uma discreta beleza no Outono. 

 

Não sou grande fã do frio e do Inverno mas confesso que o Outono tem um encanto que me preenche o coração. O Outono é muito auditivo. O barulho das árvores, das folhas no chão, do vento e até da chuva. Começa a surgir um frio mas ainda de uma forma diluída. Em pequenas doses. Um frio convidativo ao aconchego, ao estar embrulhada numa manta a ler, a conversar e a ver um bom filme. 

 

O Outono também é muito visual. A gradação da tonalidade das folhas que vão desde o amarelo vivo, passando pelos tons cobreados, pelo tom ferrugento, terminando num vermelho vivo. Uma explosão de tons terra. 

 

Abraço o Outono com alegria, com uma chávena de chá entre os dedos e um olhar de memórias.


 

[foto retirada daqui]

23.11.12

("memorizar-te os dedos")


a dona do chá

"(...) Novembro é o mês certo para te segurar nas mãos, memorizar-te os dedos para nunca mais esquecer. Temos os nossos segredos, vivemo-los. E, numa hora que escolhemos juntos, despedimo-nos sem medo. Teremos amanhã, teremos a próxima semana e o próximo ano mas, mais ainda, temos agora, este preciso momento em que estamos tão vivos.(...)"


As nossas sombras a namorarem em Lisboa | José Luís Peixoto

13.11.12

(de vez em quando esbarro na perfeição)


a dona do chá

i carry your heart with me(i carry it in my heart)

e.e. cummings

i carry your heart with me(i carry it in
my heart)i am never without it(anywhere
i go you go,my dear;and whatever is done
by only me is your doing,my darling)
                                                      i fear
no fate(for you are my fate,my sweet)i want
no world(for beautiful you are my world,my true)
and it’s you are whatever a moon has always meant
and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows
(here is the root of the root and the bud of the bud
and the sky of the sky of a tree called life;which grows
higher than soul can hope or mind can hide)
and this is the wonder that's keeping the stars apart
i carry your heart(i carry it in my heart)

27.10.12

(os benefícios do acaso)


a dona do chá




"Drink a toast to the sun / To the things that never go"

Agnes Obel - Just So



Esta fase musical está longe de terminar... Encontrei Agnes Obel na minhas incursões ao acaso pelo youtube. É uma música tão bela e delicada que quase que me faz de que hoje é sábado, o dia mais difícil da minha semana.

19.10.12

(acasos felizes)


a dona do chá

Há algum tempo descobri, por mero acaso, a música de Dia Frampton no youtube e me apaixonei de imediato. Fiquei absolutamente rendida. 

Para minha surpresa, no fim de semana passado assisti ao programa The Voice - que está a ser transmitido pela FoxLife - e lá surgiu a Dia. Não fazia a menor ideia que ela tinha sido concorrente e foi realmente uma agradável supresa. 

Aliás, adorei o conceito do programa: o facto do concorrente ser escolhido de acordo com a voz e a interpretação. E foi, de facto, bonita a forma como ela foi escolhida por Blake Shelton. Ela começou a cantar e ele sorriu de imediato como se reconhecesse algo de especial na voz dela. 

Deixo aqui esta belíssima música de Dia: