Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

29.02.16

Receitas de Amor para Mulheres Tristes, Hector Abad Faciolince


a dona do chá

IMG_20160117_191645.jpg

 "Dás reviravoltas ao corpo e à imaginação para afastar a tristeza. Mas quem te disse que é proibido estar triste? A verdade é que, muitas vezes, não há nada mais sensato que estar triste; todos os dias acontecem coisas, aos outros e a nós, que não têm remédio, ou melhor, que têm esse antigo e único remédio de nos sentirmos tristes."

 

Uma leitura deliciosa e a razão não reside unicamente nas receitas descritas. A proposta de Hector Abad Faciolince com este livro é abranger uma série de receitas para maleitas resultantes tanto de razões físicas quanto de condições espirituais e sentimentais. Portanto, todo o livro é dividido por variadas receitas e para cada uma, acompanha uma história por detrás da receita em si. A escrita é poética e faz muitas vezes lembrar mezinhas e poções de tempos passados. Fiquei particularmente encantada com este pequeno e poderoso livro. Se for possível, deve ser lido devagar. Talvez uma receita por dia. Eu o li rápido demais e foi um erro. É um livro a ser degustado, saboreado, sorvido lentamente. Por isso, recomendo vivamente esta leitura, em pequenas diárias.

01.01.16

Meta de Leitura. (2)


a dona do chá

Para 2016 estabeleci uma meta um pouco diferente dos anos anteriores. Dantes era apenas uma meta quantitativa ambiciosa que gerasse em mim um compromisso com a leitura. Se, por um lado, criava uma certa pressão; por outro lado, ajudava a sistematizar uma rotina de leitura que tem tido um resultado muito bom na minha vida. Após dois anos seguidos, cumpri a meta e conclui de que sou capaz de levar a cabo uma rotina consistente de leitura. Neste ano estabeleço o auto desafio qualitativo.

Este ano quero ler os livros que já tenho na estante e quero me dedicar a ler alguns clássicos que há algum tempo tenho vontade de ler e que tenho deixado de lado por serem extensos. Acontece que há livros que demandam tempo, atenção e dedicação. Por isso, estabeleci uma meta baixa em termos quantitativos para assim não me sentir pressionada pelos números.  

Sim, há livros que são mais fáceis de ser lidos e isto não os desqualifica. Há leituras para todos os gostos e necessidades. Eu adoro livros mais leves e de entretenimento - ajudam-me a relaxar e divertir. Mas, durante a leitura de Os Miseráveis de Victor Hugo (que ainda não terminei), dei-me conta de que há uma riqueza profunda nos livros mais clássicos. Este ano quero ler alguns clássicos da literatura russa e trata-se mesmo de um desafio pessoal porque nunca fui muito atraída por esta área. De uns tempos para cá alguns livros como Ana Karenina e Crime e Castigo tem me despertado a curiosidade; por isso, vou em busca de conhecê-los melhor. 

Como referi antes, também quero ler o que já tenho. Sim, é verdade, aproveitar promoções dá nisso: tenho a estante cheia de livros que ainda não li. A maioria de blogues e canais literários chamam isso de TBR (to be read) mas não acho que esta expressão explique bem (por ser abrangente) o conceito de querer esvaziar a estante... porque afinal todos os livros são para ser lidos. 

Quero também ir na onda de um projecto que foi muito famoso ao longo de 2014 e 2015 que se chama "leia mais mulheres". Acho que é um projecto muito relevante e interessante. Quero tornar as minhas leituras mais equilibradas quanto ao género.

Por fim, quero fazer algumas releituras. Quero reler Jane Austen. É provavelmente a escritora que mais amo e que consegue surpreender-me a cada releitura. Se você que me lê neste momento nunca leu Jane Austen, faça um favor a si mesmo/a: LEIA! ^Também quero reler Pássaros Feridos.

Apesar de ser uma meta menor parece-me ser mais exigente. Vamos ver se vou estar à altura ou se vou falhar redondamente. Uma coisa é certa, o que quero mesmo é ler. Ler sempre. Ler é uma das minhas grandes paixões.

 

 

31.12.15

Meta de leitura (1)


a dona do chá

Consegui cumprir a minha meta quantitativa de ler 60 livros em 2015. Não consegui reler os livros de Jane Austen nem terminar Os Miseráveis antes de fim do ano. De qualquer forma, o saldo foi positivo porque li com regularidade e porque grande parte das leituras resultaram em partilha e conversas interessantes.