Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

(não ter como nem onde)

12.11.11, a dona do chá

a voz ordena a escrita, grita. a voz ordena que seja dito, insiste. a voz, a voz, a voz. a escrita, a escrita, a escrita. tens de escrever. tens. tem de ser. não pode ser. dizer o que não deve ser dito. dizer o que se pensa. dizer as lavas do coração em chamas. escrever e dizer. dizer e falar. falar e ouvir. ouvir e ferir. ferir e sofrer. não escrever e não dizer e não falar e não ouvir e não ferir e sofrer. espremer a normalidade e vestir a certeza de que nem tudo pode ser dito, nem tudo pode ser ouvido, nem tudo. o sacrifício da normalidade. a queda das palavras. o abismo do silêncio. se nada é dito, se nada é falado, se nada é escrito, nada acontece. como explicar esta miserável convulsão do pensamento? como se faz para viver?

a voz ordena, extende, empurra. à voz, dedica-se a inacção. desobediência. revela-se a auto-mutilação em proveito da preservação dos afectos. 

devolva-se os hieróglifos e concretize-se a escrita. materializar a fala. abrir o coração. conquistar a liberdade.