Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

Chá de Menta

I am half agony, half hope | Jane Austen

(cheguei aos 33 anos com olhos de adeus)

24.08.09, a dona do chá

foi com estes meus olhos de adeus que carreguei estes últimos dias. não posso dizer que a vida tenha sido totalmente despropositada. sei que há coisas que acontecem porque tem de ser e outras que jamais entenderei porque aconteceram de determinada forma. este tem sido o ano mais estranho que tenho vivido. ano do pior e do melhor. alegria e tristeza ao mesmo tempo. ano do imprevisível. do inesperado. do desconhecido. ano de muitas questões em aberto. o questionamento sempre foi uma constante na minha vida, mas este ano tem sido particularmente exaustivo. conseguir submergir destes dias de estranheza e de insanidade...

às vezes, procuro fechar os olhos, por momentos, sabes como é? simplesmente fechar os olhos. esquecer. esquecer o adeus. esquecer de dizer adeus. esquecer que poderá existir um adeus. e se este adeus acontecer sem ter acontecido? e se não houver oportunidade para o verdadeiro adeus? será que não digo adeus todos os dias ao lhe fazer uma cevada quente? será que estes meus olhos que se fecham, para não ver ou para não ver demais, já se contorcem de adeus?

 

porque é que eu que estes meus olhos têm de viver sempre marcados pelo adeus?

tu, que me conheces, consegues dizer-me, porque temos de viver divididos e marcados pelo adeus?